Tempos de um tratamento

 DSC_0027Consulta: É o primeiro passo. Durante ela vamos obter informações clínicas, analisar exames e tratamentos realizados anteriormente e solicitar os exames necessários para o nosso tratamento.

Montagem do ciclo: Após a consulta e a realização dos exames solicitados, os pacientes vêm para a Montagem do Ciclo, que é a organização de todo o tratamento. A Montagem deve ser agendada para uma data que anteceda em no mínimo uns 10 dias a data prevista para a próxima menstruação.

Estimulação ovariana: Para praticamente todos os tratamentos, os ovários precisam ser previamente estimulados. O esquema de medicamentos para isso varia muito de uma paciente para outra, mas na maioria dos casos, são iniciados “ao redor” de uma semana antes da data prevista para a menstruação. Do início da medicação até  a ovulação ou coleta dos óvulos, são na maioria dos casos,  “ao redor” de 33 dias.

Ultrassonografia seriada para acompanhamento da ovulação: Nos casos de coito programado ou de inseminação artificial ou intrauterina, algumas ultrassonografias são realizadas durante a fase folicular ou de estimulação, para orientar o melhor momento para se ter relações ou fazer a inseminação.

Exames (dosagens hormonais de FSH, LH, estradiol e progesterona): Para melhor nos situarmos sobre o efeito dos medicamentos na resposta ovariana, costumamos solicitar essas dosagens hormonais, em média 3 vezes após o início da estimulação ovariana.

Ultrassonografia: Na maioria dos casos realizamos uma ultrassonografia, ao redor de uma semana antes da data prevista para a ovulação ou coleta dos óvulos.

Coleta do sêmen: Realizada na clínica na maioria dos casos, antes da coleta dos óvulos. Excepcionalmente o sêmen pode vir coletado de casa, assim como pode apenas ser descongelado, caso tenha sido previamente armazenado.

Punção de epidídimo ou de testículo: Para homens vasectomizados ou com azoospermia (ausência de espermatozoides na ejaculação) obstrutiva, a obtenção dos espermatozoides é feita através de punção de epidídimo, com participação de um urologista. Nos casos de azoospermia não obstrutiva ou secretora, após cuidadosa investigação clínica-laboratorial para analisar a viabilidade, os espermatozoides podem ser obtidos através de punção testicular. Ambos os procedimentos são realizados com anestesia local.

Obtenção dos espermatozoides na urina pós masturbação, nos casos de ejaculação retrógrada: Embora não muito frequente, alguns homens ejaculam, mas o ejaculado vai para a bexiga. Nesses casos, após uso prévio de bicarbonato de sódio, para alcalinizar a urina (os espermatozoides não resistem à acidez), a urina pós ejaculação é centrifugada e os espermatozoides obtidos podem ser utilizados para a fertilização dos óvulos.

Coleta dos óvulos: Realizada na clínica com anestesia local em quase todos os casos. Nossas pacientes têm preferido assim. Em caráter opcional e excepcionalmente, pode ser realizada num centro cirúrgico, sob anestesia geral.

Fertilização dos óvulos e cultivo dos embriões: A inseminação dos óvulos ou injeção dos espermatozoides é realizada logo após a coleta dos óvulos. Diariamente os embriões são avaliados e fotografados para que possamos entrar em contato com os pacientes dando notícias.

Transferência dos embriões: Dependendo do número de embriões de boa qualidade produzidos, a transferência para o útero é realizada entre 2 e 6 dias.

Diagnóstico de gravidez: Realizado 12 a 15 dias após a ovulação ou coleta dos óvulos, através de exames de sangue (dosagem dos hormônios hCG, estradiol e progesterona).

Ultrassonografia para avaliar a viabilidade da gravidez: Realizado na maioria dos casos entre 5 e 6 semanas após a coleta dos óvulos.

Ultrassonografias para avaliar o adequado desenvolvimento fetal: Realizadas em diferentes fases da gravidez, a critério médico. Aqui na clínica temos equipamento de última geração para ultrassonografia tridimensional.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?